SIMBOLISMO PSÍQUICO DA INSÔNIA

Segundo Rüdiger Dahlke, em seu livro: “A DOENÇA COMO SÍMBOLO – Pequena Enciclopédia de Psicossomática”, no plano sintomático a insônia representa “medo de perder o controle, de entregar-se, de envolver-se com o desconhecido”.

Simbolicamente a insônia reflete o estado interior de dificuldade de “soltar” as situações cotidianas.

Nas analogias arquetípicas, a tradição cultural descreve o sono como o “irmão da morte” (Tanatos, a morte é o irmão de Hipnos, o sono) e elas exigem abrirmos mão do nosso controle e dos nossos feitos intelectuais sobre a realidade.

Assim como há o temor da morte, há o temor da noite, pelos mistérios que ela pode querer revelar.

Como tememos: nossos sentimentos, nossa sombra, o inconsciente, o mal, a morte e a escuridão, apegamos-nos ansiosamente ao nosso intelecto e desconfiamos das situações que solicitam uma entrega e confiança em algo ou alguém, pois isso não nos é familiar.

O relaxamento pode nos remeter ao medo de perder algo e o sono nos conduz ao reino da noite e da sombra.

A insônia, portanto, vem mostrar a dificuldade em desapegar-se do controle consciente, devido à falta de autoconfiança, ou à dificuldade de desprender-se dos episódios de sofrimento/dificuldades do cotidiano, ou de administrar suas expectativas em relação ao futuro.

É como se as preocupações, dores, dificuldades e incertezas que “disfarçamos” durante o dia, aparecessem “escancaradas” quando nos recolhemos para descansar.

Pode haver também um excesso de cobrança interna e certo perfeccionismo, que conduz a pessoa assumir tudo para si, como se tivesse de dar conta de todas as adversidades.

Ao contrário, recusando-se a assumir qualquer responsabilidade sobre os fatos desafiadores que surgem, também pode trazer a insônia.

Em ambos os casos, a pessoa segue recorrendo à negação e ao esquecimento e quando chega a noite, todas as preocupações, medos e inseguranças aparecem, gerando a insônia.

A insônia, como sintoma, deseja proporcionar à pessoa bastante tempo para chegar a um acordo com as situações desagradáveis e com os seus temores.

Portanto, uma das aprendizagens de quem sofre insônia deve fazer, é a de conseguir encontrar formas de encerrar o dia de modo que possam entregar-se totalmente à noite e as leis que a determinam.

Além disso, ela precisa também achar a raiz de seus medos, encontrar a confiança básica e a capacidade de autoentrega.

Por hoje é isso, lembre-se que essas visões simbólicas apenas nos oferecem reflexões sobre nossa vivência, que é única e particular.

VERÔNICA DUTENKEFER

Psicoterapeuta e Terapeuta Holística

CRTH-BR 5234

(11) 9.6484-5432

E-mail: veveduten@yahoo.com.br