REFLEXÕES SOBRE NOSSO MOMENTO ATUAL

“Porque, quando uma mosca bate as asas, uma brisa sopra no mundo; quando uma partícula de poeira cai no chão, o planeta fica mais pesado; e quando batemos o pé, a terra sai um pouco do seu curso. Sempre que rimos, a felicidade espalha-se como as ondas de um lago; e sempre que ficamos tristes, ninguém pode estar totalmente feliz.” (Norton Juster)

Algo invisível ao olho nu e silencioso tem nos obrigado a ficar reclusos.

Com “mãos de ferro”, tem feito nos dobrar à regras, que queiramos ou não, temos de obedecer.

Um vírus que vem nos mostrar que independente dos conceitos que escolhemos adotar quanto à religiões, gênero, raças e classes sociais são completamente ilusórios, pois ele atinge à qualquer um.

Ataca o sistema respiratório, que segundo à tradições orientais, está ligado ao princípio do Metal, que governa tudo que diz respeito ao nosso relacionamento com o mundo exterior. O Metal tem a ver com a capacidade de escolher. Se relaciona as coisas que se fazem sob o uso da força e sem flexibilidade, como a lâmina que corta sob o uso da força por que é mais dura do que aquilo que está cortando ou no qual está penetrando.

Podemos questionar o quanto a humanidade estava armada de forma inflexível, cortando tudo aquilo que não se dobrava à suas opiniões individuais.

O Pulmão permite que se absorva a energia chamada “Ki” (Energia Vital) e dá assistência ao coração. Pulmão absorve à Vida, o Coração emana Amor e, portanto, a circulação do amor à Vida. Da gentileza com nossa morada, seja individual (corpo), seja global (planeta Terra).

No nível psicológico, ele está associado à capacidade de se defender no que diz respeito ao “mundo exterior”: ao rigor, à ação sobre as coisas, mas sobretudo à interiorização, tomada no sentido da não manifestação, da camuflagem (armadura). Quantas máscaras estamos acostumados a usar?

Os males que atacam o sistema respiratório possuem o simbolismo psíquico que fala da nossa dificuldade para nos proteger perante o mundo exterior, para encontrar reações adaptadas diante das agressões eventuais, reais ou imaginárias, desse mundo. Eles também podem significar que não conseguimos ou não queremos fechar certas feridas da nossa vida e, dessa forma, nos falam das nossas eventuais tristezas, ressentimentos ou rancores, da nossa dificuldade ou da nossa recusa em esquecer, em perdoar, até mesmo do nosso desejo de acertar as contas ou, pior ainda, de vingança.

O sistema respiratório está associado ao 4º Chakra principal: CHAKRA CARDÍACO. Ele se associa à Glândula Timo, que cuida de nosso sistema imunológico.

Este chakra representa o centro das emoções, do amor e sabedoria nas relações emocionais.  Amor verdadeiro e incondicional, devoção, fé e bondade. Possui a competência espiritual de fazer a conexão com o Divino.

Podemos então, nesta reflexão, nos questionar o quanto as sociedades deste planeta estão adoecidas no amor incondicional, na compaixão, no perdão, gratidão e conexão com o divino.

Estamos conectados ao exterior em demasia, e nos falta  quietude que leva à lucidez e autoconhecimento. E esse vírus está nos obrigando a nos retirar e voltarmos nossa atenção ao que realmente é essencial.

O eterno medo da morte de quem não sabe viver. Saber que algo invisível e microscópico pode fazer a diferença no macro, no que é visível e, ilusoriamente, grandioso.

Aproveitemos para aprender sobre o que essa amarga, dura e assustadora lição quer nos ensinar.

Aproveite a reclusão para cuidar do que é verdadeiro na sua vida. Cuidar daquilo que nenhum vírus, nenhum governo, nenhuma ordem pode tirar de você.

Descubra o que te mantém vivo, apesar da morte. O que te faz ser imortal, mesmo sendo mortal, ou seja, cuide da sua Essência Divina.

E que mesmo isolados, nossos pensamentos se voltem para além do nosso mundo limitado, e unidos como irmãos, vibremos preces e bons sentimentos, para que talvez mais rapidamente possamos aprender as lições e verdadeiramente vencer tudo aquilo que originou esse caos.

VERÔNICA DUTENKEFER

Psicoterapeuta e Terapeuta Holística

CRTH-BR 5234

(11) 9.6484-5432

E-mail: veveduten@yahoo.com.br