STRESS

“O ser humano é capaz de adaptar-se ao meio ambiente desfavorável, mas esta adaptação não ocorre impunemente”. (Lévi-Strauss)

STRESS (que já foi aportuguesado como “ESTRESSE”) quer dizer “pressão”, “tensão” ou “insistência”.

Estar “estressado” quer dizer “estar sobre pressão” ou “estar sob a ação de estímulo insistente”.

STRESS é qualquer mudança à qual você precise se adaptar. Nem todo stress é ruim. Ele na verdade é essencial para a vida, uma vez que sinaliza a percepção de algo ameaçador.

O Dr Hans Selye (médico, pesquisador austríaco que trabalhou no Canadá) é considerado como criador da teoria do stress.

Em 1929 Dr Walter Canon (fisiologista americano) fez as primeiras pesquisas que mostravam nossa resposta de “Luta ou Fuga”, onde descreveu como o cérebro envia ordens para todo o corpo quando há algum sinal interpretado como ameaçador, desencadeando uma preparação fisiológica para se defender e preservar a vida.

Parte da resposta do stress é instintiva e outras partes são condicionamentos de experiências traumáticas do passado, que acionam gatilhos de mecanismos de defesa ao que é interpretado como ameaçador, mesmo quando isso não é real, ou não representa perigo.

Vivenciamos o stress a partir de 3 fontes básicas:

MEIO AMBIENTE: Que exige que você se adapte. Você precisa suportar mudanças de temperatura. Barulho, excesso de pessoas; exigências interpessoais, pressões relacionadas à prazos, padrões de desempenho, ameaças à sua segurança e autoestima, etc …

FISIOLÓGICA: O rápido crescimento da adolescência, a menopausa ou andropausa, envelhecimento, doenças, acidentes, sedentarismo, má alimentação, distúrbios do sono, etc…

PENSAMENTOS: Daniel Goleman em seu livro: “INTELIGÊNCIA EMOCIONAL” explica que “há emoções que resultam de pensamentos. Para as emoções durarem mais, o gatilho de pensamentos tem de ser mantido”. Seu cérebro interpreta e traduz mudanças complexas no ambiente e determinam quando o botão do pânico, por exemplo, deve ser pressionado. Sua maneira de perceber e rotular as próprias experiências atuais e futuras pode deixar você tranquilo ou estressado.

Portanto o alerta começa com a sua avaliação de situação, que acarreta uma cadeia de pensamentos levando a um mal estar, que prolongado, causa o stress.

Podemos então concluir que diferentes fontes básicas do stress (agentes estressores) exigem do indivíduo um ajuste de seu padrão de comportamento habitual.

Durante um prolongado período de stress a pessoa torna-se vulnerável ao aparecimento de doenças, pois pode ter ultrapassado a reserva de energia adaptativa que possuía, ocorrendo um desequilíbrio orgânico em respostas a esses agentes estressores.

VERÔNICA DUTENKEFER

Psicoterapeuta e Terapeuta Holística

CRTH-BR 5234

(11) 96484-5432